Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Projeto do Jardim de Infância Pingo de Gente busca conscientizar sobre trânsito na rua Paulo Jahn, em Schroeder

Publicado em 12/05/2022 às 16:58 - Atualizado em 13/05/2022 às 09:21

Na manhã e na tarde desta quinta-feira (12), o Jardim de Infância Pingo de Gente realizou ação educativa no trânsito na rua Paulo Jahn, onde a unidade escolar está situada.

Esta ação faz parte do projeto ‘Os pequenos e o trânsito’, que mobilizou professores, alunos, colaboradores e pais.

Apoiada pela Secretaria Municipal de Educação e Polícia Militar, a iniciativa tem o intuito de conscientizar quanto ao intenso tráfego de veículos, motocicletas, bicicletas e pedestres naquela via.

"A campanha busca um trânsito mais humano e consciente, pois a nossa rua concentra espaços de grande movimentação, como a Delegacia de Polícia, Posto de Saúde, entrada para o pátio da Prefeitura, acesso à Corporação de Bombeiros Voluntários, ao Ginásio Alfredo Pasold e Escola Emílio da Silva, entre outros", aponta a equipe do Pingo de Gente.

O projeto, desenvolvido de 9 a 13 de maio, contou com palestras e visita de policiais à escola, orientação dos pais sobre a situação do trânsito em frente às unidades escolares, além de confecção de faixas e cartazes.

Paradas com os alunos para sinalizar a importância do cuidado no local também foram realizadas, com apoio da Polícia Militar, bem como a pintura de faixa de pedestre e cadeirante em frente ao jardim de infância.

O projeto está sob a coordenação e orientação do Sargento Samuel que, no início da semana, esteve na escola orientando sobre o uso do cinto de segurança, cadeirinha de transporte, acento de elevação, sinais básicos de trânsito. Também falou sobre o uso do celular ao dirigir e qual a função da faixa de pedestres.

“Hoje, demos a continuidade aplicando o projeto em frente à escola. Temos muitos problemas na rua Paulo Jahn: velocidade, falta de respeito às placas e à faixa de pedestres, uso de vagas dos deficientes. Enviamos várias orientações aos pais dos alunos, via WhatsApp, em assembleias, mas o desrespeito continua”, lamenta a diretora.